Ficar

19/03/2011 13:36

 Primeiramente vamos entender o que é “ficar”. Ficar é uma gíria brasileira que designa uma relação afetiva sem compromisso, que normalmente tem natureza efêmera.

Normalmente é só um beijo. 

Ficar é pecado por dois motivos: em primeiro lugar, eu começo a “coisificar as pessoas, elas não passam de objeto para eu satisfazer minhas vontades, ou seja, to afim de beijar alguem, mais não quero ter compromisso, não quero saber se tem problemas, se a pessoa está passando por alguma dificudade, o importante é o quanto beija bem. 
È como uma laranja que chupo e jogo o bagaço fora, como se eu pudesse separar a boca do resto da pessoa, e esquecemos que somos seres compostos de corpo e alma, é um conjunto inseparável criado a imagem e semelhança de Deus. 
E em segundo lugar, o “ficar” é um grande propagador de doenças, atualmente nossa sociedade incorporou o hábito de "ficar", no qual pode-se beijar várias pessoas, Porém, o hábito do beijo na boca, visto por muitos como algo inofensivo, trás o perigo da transmissão de várias doenças, inclusive as sexualmente transmissíveis. 


Observe as conseqüências negativas do ficar: 

(1) incentiva paixões e hábitos impuros levando o jovem cristão a ser controlado por emoções e não pela Palavra;
(2) incita à infidelidade e à mentira (Jo 8.44);
(3) ataca a moral cristã, ou seja, defrauda a imagem do jovem cristão perante a sociedade e a Igreja;
(4) incentiva as paixões da carne (II Tm 2.22).
No que tange a sua vida sentimental o jovem cristão deve procurar viver de acordo com a Palavra de Deus, ou seja, orar buscando a direção do Senhor para namorar e casar e não permanecer “ficando” e se depreciando por curtos momentos de euforia e prazer. A questão do ficar leva à intimidade em que moços e moças se permitem tocar ou acariciar as partes intimas do corpo, ou através da roupa ou em contato direto. Concluo afirmando que a prática do ficar é pecado e que o jovem leitor deverá mudar seu comportamento se quiser agradar a Cristo e subir no dia do arrebatamento da Igreja. Ou você prefere “ficar”?